18 dezembro, 2012

Resenha Jogador Nº1



Bom dia.
Hoje trago minha última resenha em parceria com a editora Leya, e posso dizer que foi uma parceria muito produtiva e fechei com chave de ouro fazendo essa leitura. E claro que estou torcendo pra conseguir renovar essa parceria.


Sinopse: Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna. Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência. A vida, os perigos, e o amor agora estão mais reais do que nunca. O Jogador nº1 também estará nas telas pela Warner, e sua produção está sendo divulgada como o próximo AVATAR dos efeitos especiais!
_________________________________________

 O Jogador Nº1 é uma distopia voltada para o mundo virtual: o OASIS - um mundo virtual com avatars, teletransportes, shopping e escolas virtuais. É uma utopia virtual, uma verdadeira rota de fuga da realidade caótica.
 Além do fato super bacana do livro que é focado nos anos 80, outro ponto que me encantou muito foi o mundo virtual criado pelo autor. OASIS muito me lembrou o Second Life - um mundo virtual onde se cria um avatar, uma plataforma com shopping, escolas, igrejas, teletransporte, e claro a interação entre os avatars. Eu joguei second life por muito tempo, e é viciante, só faltava mesmo a luva e o visor pra se tornar um OASIS rsrsrs.

 Mas voltando ao livro: é uma história que se passa numa  futura Terra destruída pela escassez  de recursos naturais, obviamente, males causados pelo ser humano, até aí, é o que vemos na maioria das distopias.
 Buscando fugir desse mundo destruído, de miséria e medo, nós conhecemos um mundo virtual utópico, e está aí o grande diferencial  dessa distopia.

 Halliday , o criador do OASIS, era dono de uma imensa fortuna;  sem herdeiros e temendo que todos os seus bens parassem em mãos erradas, deixou tudo preparado para que ao morrer seu testamento fosse transformado no maior jogo de todos os tempos: e o vencedor ficaria com toda sua fortuna.
Ele havia criado uma realidade totalmente nova que agora oferecia uma válvula de escape para a maioria da humanidade. E, para coroar, havia transformado seu testamento no maior jogo de videogame de todos os tempos. pág71

Sem perspectivas melhores de vida, a única alternativa de Wade foi se tornar um caça-ovo estudando tudo sobre a vida de Halliday, jogando todos os jogos criado por ele e fazendo anotações de tudo que achava importante e pudesse vir a ajudá-lo na caça.
 Wade simplesmente fez um intensivo dos anos 80, tudo que se referia a filmes, seriados, músicas, autores, diretores.
Minha geração não sabia como era o  mundo sem o OASIS. Para nós, ele era muito mais que um jogo ou uma plataforma de entretenimento. Sempre tinha sido parte de nossa vida. Havíamos nascido em um mundo feio, e o OASIS era nosso refúgio de felicidade. pág 48

 Mas é claro que essa caça não seria tão simples assim, Halliday sabia do perigo que toda sua plataforma corria se caísse em mãos erradas. E é assim com muita disputa, muita inteligência, muitos jogos e muita aventura que a história se desenvolve.
 O livro começa nos dando o final, então já logo de início sabemos quem é o Jogador Nº1, mas o grande barato é saber como ele conseguiu diante de milhares de participantes.

 O Jogador Nº1 com certeza foi a minha melhor leitura de 2012, com um enredo surpreendente, uma aventura inédita, totalmente inovadora para mim. É bem verdade que fiquei com uma pergunta que ainda não calou em minha cabeça: num mundo caótico, onde a miséria domina devido a uma crise de energia que destruiu o mundo, como as pessoas tem condições de ter um computador e ainda ficar logada o dia inteiro num mundo virtual? Não seria um uso e desperdício desnecessário de energia? Mas enfim...isso é só uma coisa que me questionei, não é nada que interfira na ótima história , como já disse acima, foi a melhor leitura do ano.
 Não sou fã dos jogos citados no livro, na verdade não sou fã de jogos, mas esse livro me conquistou. Ah, e não posso deixar de dizer que tem um romance bem leve no ar, super fofo.
 Aos adoradores de jogos e pra quem viveu os anos 80 com certeza essa leitura vai te conquistar também.
 Entrou para os meus favoritos com certeza. Eu recomendo essa leitura.



Trilha sonora citada:


Oingo Boingo - Dead Man's Party

video

In Your Eyes - Peter Gabriel

video


Se vocês tiverem algum problema para assistir os vídeos, me avisem por favor.

Filmes citados:


Atração Fatal - 1989
Sinopse: Veronica Sawyer (Winona Ryder) é uma jovem que convive com três patricinhas chamadas Heather, que têm por função única na vida serem adoradas. O comportamento delas e dos amigos que as cercam é tão pedante que Veronica sente vontade de matá-las. Após começar a namorar Jason Dean (Christian Slater), um outsider, é que as mortes se tornam realidade, mas sempre simuladas, como se fossem um suicídio.


Os Caça-Fantasmas - 1984



Sinopse: Em Nova York Peter Venkman (Bill Murray), Ray Stantz (Dan Aykroyd) e Egon Spengler (Harold Ramis) são três cientistas do departamento de psicologia da Columbia University, que se dedicam ao estudo de casos paranormais. Mas quando a subvenção termina eles são despedidos. Assim, Venkman sugere que tenham um negócio próprio, mas como não têm dinheiro fazem empréstimos e inauguram uma exterminadora de fantasmas chamada "Ghostbusters". Inicialmente eles só tem despesas e nenhum cliente, até que surge Dana Barrett (Sigourney Weaver), uma violoncelista que teve uma experiência há dois dias atrás bem assustadora no seu apartamento, pois Zuul, um demônio, parecia estar dentro da sua geladeira. Após isto Dana não voltou mais para casa. Venkman vai com Dana até a casa dela pensando em conquistá-la, mas nada consegue e também não encontra nenhuma entidade. Logo após o gerente de um hotel pede a ajuda deles e desta vez, depois de alguma confusão, eles capturam o fantasma. Surgem então em Nova York diversas aparições e os "Ghostbusters" são sempre chamados para resolver o problema, ganhando uma forte projeção através da mídia. Eles ficam tão sobrecarregados de trabalho que contratam Winston Zeddmore (Ernie Hudson), que nada sabe de assuntos paranormais mas quer um emprego que pague bem. Venkman procura Dana para marcar um encontro e diz que descobriu que Zuul foi um semideus adorado em 6000 A.C. pelos hititas, mesopotâmios e sumérios, sendo que Zuul, por sua vez, servia a Gozer. Logo depois surge na firma o exaltado Walter Peck (William Atherton), que trabalha na agência de proteção ambiental e acredita que Venkman, Stantz e Spengler sejam charlatões, estando disposto a desmascará-los.

A Vingança dos Nerds - 1984



Sinopse: Anthony Edwards (do seriado de TV "ER") estrela ao lado deRobert Carradine esta hilária sátira da vida universitária de umgrupo de excluídos que fundam sua própria fraternidade apósterem sido rejeitados por todas as outras fraternidades do campus. É uma batalha de cérebro contra músculos quando os fortões do time de futebol tentam esmagar seus excêntricosoponentes, mas os nerds têm um plano perfeito para ganharvantagem...









21 comentários

  1. :n Oi Paty!!!
    Você sabe que fiquei histérica quando li esse livro, recomendando para todo mundo rsrsrs... que bom que você gostou amiga, também foi uma das minhas melhores leituras de 2012, a mais empolgante :s com certeza!!!
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  2. Oi, querida. Não conhecia o livro, apesar da editora ter livros maravilhosos. Achei legal os filmes citados, vou procurar alguns para conhecer melhor. Beijinhos para vc e um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  3. Oi Paty!

    Já me encantei pelo livro de cara, ao saber que ele retratava os anos 80. Minha década preferida... rs... Nunca mais gostei de um videogame como gostei do meu Atari! hahaha...

    Curioso mesmo isso, de como as pessoas conseguem ter um computador em um mundo de recursos tão escassos... hehe... tenho certeza que eu nunca repararia nesse detalhe sozinha! rs

    Só sei que depois de você dizer que essa foi sua melhor leitura de 2012, preciso ler de verdade!! E com urgência! =)

    Estou torcendo para a sua parceria ser renovada, você merece!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  4. Paty, que legal!! Adoro cultura dos anos 80 e distopias, então, o livro tem que ir pra lista de desejados! Você disse que foi a melhor leitura de 2012, é um grande feito de um livro, com tantas outras leituras. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oláaa!
    Sério que o livro foca nos anos 80? A-D-O-R-O!!!! (e adorei a trilha sonora!).
    Ficar com toda a fortuna?? Isso é um incentivo e tanto para ficar logado o dia todo (com ou sem desperdício de energia! ahahah).

    Fiquei curiosa!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Paty,

    Acho essa capa tão linda, nunca nem pensei a que historia fosse assim, fiquei muito curiosa amo quando livros fazem várias citações de filmes e outros livros, faz com que a leitura se torne ainda mais completa, acho que preciso desse livro com urgência.

    Mayla

    ResponderExcluir
  7. Paty, mulher... você quer me matar?

    Estou esperando esse livro chegar aqui em casa: pedi de parceria com a Leya! Gente, o enrendo parece ser muuuuuito bom. Depois de ler que entrou para a lista dos seus favoritos, a vontade de lê-lo duplicou! Chega logo, meu bebê *-*

    Até logo,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Paty!

    Não conhecia o livro e sou fã surtado de distopias. Amo demais e sempre que vejo fico curioso. Uma distopia que envolve o mundo virtual é algo novo pra mim e lendo sua resenha, me bateu uma vontade louco de vontade de mergulhar no mundo virtual e na década de 80.

    Linda resenha!!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi esse livro várias vezes, inclusive em promoções do Submarino, mas nem imaginava que seria tão legal assim.
    Não vivi nos anos 80, mas gosto de ler sobre, acho bem interessante ver como a vida era tão diferente mesmo não tendo se passado tanto tempo. Esse ano li Eleanor & Park que também se passa nessa época.
    Como gosto de distopias, acho que vou gostar também desse livro. E o lance de já começarmos sabendo o final acaba acalmando meu coração. Normalmente vou lá na última página dar uma espiadinha. rs
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  10. Oi Amiga!
    Esse livro tem uma premissa muito bacana mesmo!
    Me senti bastante saudosista com algumas coisas, tipo Ghostbusters e Peter Gabriel hahahaha Tempos bons!
    Eu não sei se seria uma leitura fluida para mim, por ser enorme, rs mas a premissa é tão chamativa que sempre faz com que eu me pergunte: porque não?!
    let me think about it... rs
    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
  11. Oi Paty!
    Não conhecia o livro, e não sei se leria por agora. Quem sabe no futuro eu não dê uma chance?
    Sua resenha está ótima!

    Beijos!
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Paty!

    Só queria dizer que faz muito tempo que quero ler esse livro, como você pode perceber pelo meu comentário acima... rs... Tenho ele aqui mas ainda não consegui encaixar na fila. :/

    Sou cada vez mais apaixonada por distopias e preciso mesmo arrumar tempo pra ler logo!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Paty
    Eu não conhecia esse livro, mas gostei muito da proposta dela. Eu não vivi os anos 80, mas gostei de saber que no livro tem referências sobre isso. A capa não me chamou a atenção mas a história do livro sim.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  14. Ola Paty, a sinopse em si não me atraiu muito, nem, sempre distopias chamam minha atenção, vou dar mais uma pesquisada mas no momento vou deixar passar essa leitura beijos e parabéns pela parceria. beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá, quando lançaram esse livro, fiquei com muita vontade
    de ler, mas ai o tempo foi passando e acabei não o comprando.
    Gostei muito de relembrar como era a narrativa desse livro, ele
    me parece ter uma pegada bem legal, e sua resenha está super completa,
    por citar os filmes que foram citados no livro,

    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Paty!
    Que ótimo que conseguiu parceria, parabéns! Isso significa que seu trabalho está sendo ainda mais valorizado. O livro parece muito bom, fiquei bastante curiosa pra ler e com certeza vou anotar aqui pra comprar!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oi Paty, tudo bem?
    Realmente, é um enredo super diferente, não conhecia ainda. Nunca li nada sobre jogos, tenho muita vontade, pois acho super interessante. Agora, colocar o tema de jogos em uma distopia, deve ter ficado o máximo!!!!!! E se você o considerou como a melhor leitura que fez, e favoritou, não precisa dizer mais nada, direto para a lista.
    Adorei.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. OI Paty!
    Que legal sua melhor leitura! Espero que tenha renovado! Seria merecido!
    Eu adorei sua resenha e também fiquei pensando sobre o que questionou, acho que deveria ser explicado essa parte! Pq se a coisa está tão caótica, tão feia, como que eles tem acesso sem restrições a tecnologia! Gostei! Marquei para ler!
    Beijão!
    Paulinha Juliana

    ResponderExcluir
  19. Oieeee, tenho muita vontade de ler este livro, adoro distopia e achei bem interessante essa distopia virtual, esses jogos cheios de disputas com certeza devem ser o máximo, só de ler sua resenha fiquei sem ar haha, imagina lendo o livro, deve ser eletrizante, amei sua resenha, Abraços.

    ResponderExcluir
  20. Oi Paty
    Não conhecia o livro, mas adorei a temática dele. Deve ser algo surreal ter um.mundo virtual, ainda mais nos anos 80.
    Estou muito curiosa para saber quem ganhou e como foi. Posso dizer que me conquistou foi sua frase dizendo que o livro já começa mostrando o vencedor. Amo livros assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olá Paty, tudo bem?

    Já vi diversos comentários acerca do livro, mas ele não me interessou (mesmo citando um dos filmes que gosto muito, que é Os Caça-Fantasmas *-*).

    Beijo

    ResponderExcluir

Não deixe de comentar,a sua opinião é muito importante. Agradeço a sua visita.


Leituras da Paty - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥