04 outubro, 2014

Livro X Filme : O Doador de Memórias


Porque todo mundo não pode ver as cores?
Porque as cores desapareceram?

                                                              Editora: Arqueiro
                                                  Autor: Lois Lowry
                                                  Páginas: 192
                                                  Skoob

Livro

Como fã de distopia eu não podia deixar passar essa história antes de assistir o filme.

A história se inicia com Jonas e sua tensão com a cerimônia dos 12, onde ele passará a ser considerado adulto e responsável, e será designado a realizar uma atividade por toda sua vida, e essa decisão tomada pelos anciãos é feita de acordo com observações extremamente cautelosas.
Todo cidadão da comunidade passa por essa etapa, e aqueles que não realizam sua atividade perfeitamente ou falham são 'dispensados', essa é a prova evidente de que houve erros.

A comunidade tem todo um ritual: falar seus sentimentos durante a noite, revelar seus sonhos pelas manhã, um comprimido todos os dias, usar a linguagem de forma clara. Nessa comunidade os sentimentos são controlados, não existe desavenças, não existe passado, não existe história, não existe animais, não existe mudanças climáticas e não existe cor.

"A vida aqui é tão ordenada, tão previsível. Tão indolor."
A autora constrói um mundo novo onde a desigualdade não existe, onde tudo aquilo que possa vir a gerar qualquer tipo de conflito foi eliminado, mas não explica como o mundo chegou ao que é no presente e como se deu o surgimento da comunidade.

Depois de tanta ansiedade e expectativa durante a cerimônia Jonas é escolhido para ser o recebedor de memórias, mas ele nem ao menos sabe o que isso significa, terá alguns privilégios mas também terá limitações.
O recebedor de memória irá guardar toda a história do mundo, todo o passado, todo sofrimento, toda guerra, toda lembrança, tudo aquilo que uma comunidade que vive apenas do presente, não tem conhecimento.
"...ele havia sido escolhido, como outros antes dele, para carregar nos ombros o fardo de todos."
Quando Jonas começa a receber essas memórias do doador, ele fica incomodado com todas as mudanças e o desrespeito ao direito de escolha que cada um deveria ter, não acha justo uma única pessoa carregar todas as dores do mundo enquanto toda comunidade vive como se tudo fosse perfeito. Então ele começa a pensar em reverter a situação.


Não vou passar mais detalhes, o livro é bem curto e eu não quero relatar a história aqui. A leitura é simples e ágil, a narrativa é fluída e cativante.

Jonas é um personagem adorável, inteligente, corajoso. A maioria dos personagens secundários não tiveram grande participação e importância. O bebê Gabe que chegou de mansinho acabou tendo um papel bem relevante.

O livro me passou a impressão de incompleto, a narrativa foi rápida, houve economia de palavras, faltou uma descrição que gerasse a empolgação, não foi criado expectativas para as ações, uma situação é colocada e logo em seguida uma solução é apresentada, mas ela é passada de forma crua e sem emoção, e algumas vezes confusa. O desfecho é angustiante, completamente aberto.
A proposta da distopia é boa, não é totalmente original, mas tem muito diferencial atraente, faltou um bom desenvolvimento, umas páginas a mais não faria mal algum.

Avaliação:

Filme

Terminei a leitura e fui assistir o filme aproveitando o enredo bem nítido na minha mente.

O filme começa com ausência de cores pra representar como os moradores dessa comunidade veem o mundo: um mundo sem diferenças, onde tudo tem o mesmo valor, nem mais nem menos, nem melhor nem pior, nada se destaca ou se sobressai, e também pelo simples fato deles não conhecerem as cores. É uma estabilidade constante e monótona, tudo isso pra evitar o ódio e inveja, dor e sofrimento.
Os sentimentos também foram tirado dos cidadãos, não existe amor, não existe um laço, o conceito de família foi transformado: casais são formados depois de passar por todo um processo que indicará a pessoa mais adequada, filhos são gerados por mulheres destinadas unicamente a essa função, e os novos casais terão seus filhos depois de uma solicitação.
Não houve fidelidade ao livro, a adaptação teve suas alterações e foram muitas, mas a ideia primordial foi mantida, e diferente do livro, tudo ficou claro e muito emocionante.

Avaliação:


Trailer




 photo ass_zps351ff495.png

27 comentários

  1. Oie, tudo bom?
    Eu queria ter visto o filme, mas não consegui assistir enquanto estava em cartaz. Eu amo distopias e a história de O Doador de Memórias chamou minha atenção desde que vi o trailer pela primeira vez. Quero ler o livro, mas não gostei da ideia de um final aberto. Também achei o livro muito curtinho para tantas histórias.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. caramba não sabia q o filme é melhor, eu até q curti a leitura sabe, não é a melhor maravilha do mundo, mas é legal.

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  3. confesso que não é um livro e um filme que me atraiam, o enredo até que é bacana, mas não é meu tipo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Paty, tudo bom?! Ainda não conhecia o seu blog, mas adorei. Ainda não li o livro e nem assisti ao filme, mas pelo visto o filme é bem mais legal e cativante do que o livro. Enfim, pretendo ler antes de assistir. Adorei a comparação ;)


    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi paty, não li o livro, fui ver o filme. Gostei, mas achei que faltaram algumas explicações, que inclusive achei que poderiam ter no livro. Pelo visto me enganei.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Oi Paty!
    Fiquei muito curiosa quando vi o trailer e nem sabia que vinha de um livro na época. Quando soube, quis demais ler, mas ainda não consegui, espero tê-lo logo em mãos *-*.
    Ainda não assisti ao filme também, por preferir ler o livro primeiro, então é o que farei! Apesar de nao ser tão fiel como você disse, fiquei bem curiosa e parece, ainda assim, ser um ótimo filme!

    Beijos, Nanda
    julguepelacapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Paty..
    Tenho vontade de conhecer essa história. Mas acho que vou acabar vendo o filme sem ler o livro. Pelo jeito ele é melhor, pela sua avaliação. O que é raro..rs

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. É raro acontecer isso de o filme ser melhor do que o livro, mas no caso dessa obra, vejo muita gente falando que a adaptação cinematográfica ficou realmente melhor. Ainda não li e nem assisti, mas pretendo fazer isso em breve para tirar minhas próprias conclusões.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro

    ResponderExcluir
  9. Olá

    Estava pensando em ler o livro primeiro, mas pelo jeito a leitura pode esperar. Que curioso, quase nunca isso acontece, de o filme ser melhor que o livro.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie =)

    Vejo muita gente falando que o filme é melhor que o livro. Eu só vi o filme, e achei bem legal. Mas no geral achei a história um pouco fraca e cheia de furos, o que me decepcionou um pouco. Espero poder ler o livro para comparar com o filme (adoro fazer isso kkk) logo.

    Beijos,
    Livy
    No Mundo dos Livros

    ResponderExcluir
  11. UAU Paty!
    Achei o trailer absurdamente maravilhoso! Quero ver para ontem!!!
    Sou fascinada por distopias e creio realmente que estamos caminhando para mundos assim. Adoro as críticas que este gênero nos propõe, pois nos fazem pensar, refletir melhor a respeito de como vivemos atualmente e onde nossas escolhas egoístas podem nos levar.
    Fiquei triste pelo livro não ser como o filme, isso despertou minha curiosidade e quero conferir ao meu tempo, sem pressão de parceria! Vou comprar e ver!!!!

    Beijos
    Chrys Audi

    ResponderExcluir
  12. Oi Paty,

    Quero muito ler esse livro, amo essa capa, e adoro distopias, então não posso perder essa! Fiquei curiosa agora com o filme, parece ser muito bom, e quase nunca vejo um filme melhor que o livro, será esse o casa de O Doador de Memorias?

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oii Patty, tudo bem? Já li diversas resenhas desse livro, e algumas tem a mesma opinião que você a respeito do livro, e também acharam o filme melhor, e as diversas mudanças no roteiro acabaram dando uma maior emoção ao filme.

    Ainda não li nem assisti, e lendo a sua resenha agora, percebi que estou lendo uma distopia com alguns pontos bem parecidos. Enfim, tenho bastante vontade de ler o livro. Nossa, não me imagino vivendo em uma sociedade assim, e imagino o fardo que deve ser para o Jonas carregar todo o peso de uma sociedade e ver como ela realmente é, como ela priva as pessoas da escolha, e acabar percebendo que as coisas não são tão perfeitas como parece. Acho que é isso que eu mais gosto em uma distopia, quando os protagonistas enxergam a verdadeira sociedade em que vivem.

    Adorei essa comparação entre o livro e o filme.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  14. Oiee

    Ultimamente esses últimos filmes que estão sendo lançados estão sendo melhores que o livro não sei dizer porque mas enfim queria muito saber o que acontece rsrs

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá

    Estou interessado apenas pelo filme. Ainda não vi e acredito que eu vá demorar ainda um bocado de tempo pra poder conferir, principalmente porque reservei meu mês pra assistir alguns outros filmes no cinema. Estou vendo comentários muito diferentes um do outro pela blogosfera, tanto do livro quanto do filme e ficando cada vez mais curioso com relação a eles. Você é a segunda pessoa que vejo que curtiu o filme, o resto está dizendo que é perda de tempo. Estava bem pessimista, mas acredito que eu possa gostar também.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  16. Eu vou ler o livro ainda esse mês e espero gostar bastante, até porque estou bastante ansiosa para ver o filme e tirar minhas conclusões sobre ele. Gostei de tudo que vc colocou sobre o filme e o livro, mas eu ainda tenho interesse de ver e de ler da mesma maneira. Até porque cada um tem seu ponto de vista e as vezes até o filme acaba me agradando mais que o livro. Enfim...Vou conferir em breve o filme pela net mesmo e ver se eu vou gostar. Parabens amiga pela sua postagem. Eu adorei =]
    Se cuida e fica com Deus
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Paty, estou numa posição completamente oposta à sua. Li O Doador em 2011, se não me engano, bem antes da fúria das distopias. Aliás, eu nem sabia o que era distopia, e fiquei louca pelo livro. Amei cada detalhe. Acho importante falar que O Doador foi publicado dééééécadas atrás, muito antes de Jogos Vorazes e Divergente. Estas, na verdade, têm muita inspiração em O Doador, por isso, o livro não parece original, mas na verdade, ele É o original hahahahaha

    Achei que o filme podia trazer mais. O começo, pra mim, foi muito corrido e não fomentou a sociedade como eu gostaria, me impediu de conectar com os personagens e com a luta de Jonas. Achei honesto, mas só.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ressalva importante que deixei passar despercebida Lu, obrigada

      Beijos

      Excluir
  18. Oi Paty, tudo bem??? Que pena que o final do livro ficou aberto, mas será que terá sequência? Ainda não pesquisei sobre isso. Mas pelo trailer eu vou gostar do filme... pena que não consegui assistir nos cinemas... mas assim que sair no netflix eu vou assistir rsrsrsrsrs. Xero!!!

    ResponderExcluir
  19. Oi Paty, tudo bem?
    pelos seus comentários,o filme foi muito melhor do que o livro. Acho que os roteiristas perceberam o potencial da história e a melhoraram!!! Adorei parte do filme ser em preto e branco e o que isso significa. Você é a primeira pessoa que explica essa escolha de ausência de cores.
    Agora fiquei mais animada em ver o filem, risos..
    ótima resenha, adorei
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi, Paty.
    Eu adorei seu post. Sobre o livro: adoro essa ideia maçante de igualdade, nada melhor ou pior, tudo igual. Acho isso péssimo já que vejo as diferenças como motor condicionante da vida humana. Acho legal também esse conselho de anciãos definir o futuro dos membros da comunidade. Como fã de distopia, preciso ler logo!
    Já o filme parece ser bem interessante e uma pena que não tenha sido tão fiel ao livro, apesar de manter a ideia central! :)

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Sei lá, Paty, isso de muita coisa ser passada de forma crua e sem emoção me pareceu proposital, porque a sociedade retratada é assim. Mas com certeza concordo que páginas a mais não fariam mal algum. Aliás, fiquei bem revoltada por saber que são quatro livros, sendo que o primeiro tem menos de 200 páginas... super desnecessário dividir a história em tantos volumes. Mas também achei a narrativa muito ágil e cativante, e adorei o Jonas!!

    Quanto ao filme, era para eu estar assistindo nesse momento, rs, mas dei uma desanimada quando li parte da entrevista que está no final do livro e vi que seria algo completamente diferente. Você só confirmou minha suspeita dizendo que não houve fidelidade ao livro, mas pelo menos a ideia primordial foi mantida, e você ter achado emocionante até me animou de novo pra ver... rs...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  22. Olá, moça.
    Adorei a resenha.
    Eu particularmente fui assistir o filme no cinema e acabei gostando muito do filme e ficando com uma vontade grande de assistir a continuação porque esse primeiro deixou muita coisa em aberto. Eu estou pensando seriamente em ler o livro, já que disseste que o filme perdeu algumas coisas do livro.

    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Olá, uma amiga já leu este livro e compartilha da mesma opinião que você, mas apesar dos pontos negativos, do final ser aberto, ainda sim, sinto imensa vontade de ler. Motivo: "Brigar" com os diretores do filme hahah, e como constei na sua resenha, brigas não faltarão :/

    Beijooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir
  24. Oi, Paty!
    Desde o lançamento do livro fiquei interessada nele, mas agora brochei um pouquinho rsrs Confesso que estava bem empolgada, mas depois da sua resenha não vou ler o livro com muitas expectativas.
    Já o filme, tenho visto mts criticas positivas, e tbm estou com vontade de assisti-lo. E que bom que ele não foi fiel ao livro... rsrs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  25. Olá tudo bem ?
    Bom não posso dizer nada quanto a história do livro nem sua fidelidade ao filme, mas de uma coisa eu tenho certeza, esse livro me chamou muita atenção desde o dia em que foi lançado e eu achei a sinopse muito boa, porém ainda não tive a oportunidade de ler, então não posso dar "palpite" sobre, mas estou muito ansioso por essa leitura e espero me surpreender e gostar bastante.
    Abraços, Carlos.

    http://blogchuvadeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Olá Paty,
    deve ter sido uma surpresa a você notar que o filme é mil vezes melhor que a leitura. Eu me senti assim ao ler sua impressão tanto do livro quanto do filme, e confesso que a historia do livro me chamou atenção, por ele trazer algo diferente do que estou vendo ai por todas as distopias. Porem me peguei com um pé atras.
    Agora estou naquela: "Leio antes ou assisto antes?" prefiro me sentir radiante gostando do filme do que me decepcionando com o livro depois.
    Gostei muito da sua resenha dupla, sobre o livro e sobre o filme, e seus pontos são muito bem levantados. Adorei sua sinceridade.

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir

Não deixe de comentar,a sua opinião é muito importante. Agradeço a sua visita.


Leituras da Paty - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥