28 fevereiro, 2017

Bakuman: Um mangá para sonhar!


Fonte de image: Google



No primeiro volume do mangá, somos apresentados a Moritaka Mashiro (Saiko), um garoto muito tímido e inteligente que gosta de uma garotinha de sua classe, Miho Azuki. Ele gosta de desenhar (e o faz de maneira muito boa) tendo influências de seu tio já falecido, um apostador (ele fez alguns mangás que foram cancelados) que sonhava em viver apenas de mangá. Inclusive uma de suas séries mais bem sucedidas havia se tornado anime, mas tinha sido cancelada. Até que um belo dia, Mashiro esquece um caderno na sala de aula e nesse caderno havia um desenho de sua amada Miho Azuki. Quando Mashiro se dá conta do que esqueceu imediatamente volta à sala de aula para pegar o caderno e por lá encontra Akito Takagi (Shujin) com seu caderno em mãos. Tendo já dado uma olhadinha no material que tinha em mãos, Takagi afirma que acha que Miho também gosta de Mashiro e propõe a ele que se torne o ilustrador de seus mangás para que os dois sejam um sucesso na Jump. Sabendo de todas as coisas que seu tio havia vivido em sua época de apostador, Mashiro fica apreensivo, mas acaba cedendo no final. Mashiro até fica um pouco admirado com Takagi querendo ser mangáka, pois o mesmo era um excelente aluno e o melhor da classe. Chega então a hora de contar para os papais qual é a sua meta no futuro e mesmo sua mãe sendo contra, seu pai apoia a ideia e seu avô lhe dá a chave do estúdio de seu tio.

Uma amiguinha de Miho, a Kaya, que está tendo um ship com Takagi acaba revelando que o sonho de Miho é ser dubladora (ou seiyuu, como queiram) e deseja dublar animes. Mais uma vez, Mashiro fica um pouco surpreso, pois Miho também era uma das primeiras da classe e, quando eu digo isso, estou querendo mencionar que Mashiro acreditava que os "primeiros da classe" gostariam de ter uma vida mais estabilizada em alguma empresa ou etc. Sabendo desse sonho, Takagi e Mashiro vão até a casa de Azuki e por lá os dois acabam fazendo uma promessa: Quando o sonho de Takagi e Mashiro se concretizasse, Azuki (que também deveria ter seu sonho realizado) se casaria com Mashiro. A partir de então eles combinam que Azuki irá dublar o anime baseado no mangá da dupla.

Os volumes vão passando e novos personagens vão sendo inseridos como Eiji Niizuma, um jovem prodígio dos mangás que consegue fazer suas histórias em tempo recorde e sempre com ótima qualidade. Ele se torna o principal rival de Muto Ashirogi, o pseudônimo que Takagi e Mashiro adotam.. Novas histórias vão sendo descobertas como a da mãe de Azuki, que por sinal é uma mãe muito legal, do novo rival Nanamine que cria diversos métodos para deixar seus mangás com alta qualidade e a história dos integrantes do time Fukuda, um grupo de mangákas jovens da Shounen Jump liderados pelo mangaka Fukuda onde todos eles se motivam a criarem suas obras cada vez melhores, tendo em vista que os mesmos competem na revista pela melhor posição. O melhor de todos é o Hiramaru junto de seu editor Yoshida. Hiramaru quer parar de desenhar, mas Yoshida não quer perder o talento dele, então faz diversas chantagens. Esse é um personagem que começou tímido, mas que no final ganhou destaque.

O romance de Mashiro e Miho vai sendo desenvolvido aos poucos e avança. Sobre os assistentes do Muto Ashirogi-sensei gostei muito do Moriya, apesar de no começo ele ser bem chato e da Kato, que também foi assistente da Kô Aoki, que tem uma relação muito bacana com o Hiramaru e foi ganhando destaque aos poucos. Senhor Nakai foi um dos que eu gostava, depois de todas as reviravoltas quis que ele morresse e depois no final torci por ele, mesmo ele não tendo um final definitivo. Já  Iwase nunca fui com a cara dela, ela é mimada, egoísta e orgulhosa demais. Ficou bem com o Miura como editor. Aliás, eu não gostei em nenhum momento do Miura. E depois de todos esses personagens temos também os editores e com certeza o editor-chefe Sasaki, o cap Aida, o Yujiro e o senhor Hattori são os editores mais legais da mundo. Eles têm partes ótimas no mangá e nos ensinam bastante sobre o mercado editorial japonês.

Gostaria muito de poder ler todos os mangás aqui apresentados, principalmente os de Ashirogi-sensei, do Niizuma, do Hiramaru e do Fukuda. Ashirogi começou tímido com suas histórias fechadas e eu tenho certeza de que As duas Terras e O que vale nesse mundo é grana e inteligência são sensacionais. Apesar de querer enlouquecidamente ser um personagem de Bakuman para poder acompanhar Detective Trap, PCP e Reversi. Aliás, os autores poderiam lançar spin-offs com as essas histórias maravilhosas para nós!

E eu preciso dizer que a Kaya é a mais linda de todos nesse mangá! Ela é simplesmente muito incrível, consegue ajudar todos de sua forma, está sempre disposta e sempre atenta. Uma personagem que eu não dava nada e que no fim me surpreendeu bastante. Melhor amiga de Azuki e esposa de Takagi, a Kaya teve mais destaque que a própria Azuki e suas cenas no mangá são hilárias por conta de sua personalidade. Me emocionei com as cenas finais em que a Kaya dá todo o seu apoio e faz tudo o que pode para conseguir ajudar seus amigos. Sobre Muto Ashirogi-sensei e os autores Takeshi Obata e Tsugumi Ohba. Eles têm algumas coisas em comum com o Ashirogi. São uma dupla e criam mangás alternativos. Pra quem não sabe, Takeshi e Tsugumi são os autores de Death Note, um sucessão! Quero agradecer muito a eles por Bakuman, um mangá também alternativo sobre como é ser mangaka.

O final foi bom, mas poderia ser melhor. Sinto que deixaram de lado alguns personagens, embora alguns deles tenham aparecido para dizer o que tinha acontecido com eles, como é o caso do Shizuka, o depressivo e a Iwase, a orgulhosa. Mas apesar dos pesares senti um pouco a falta do Nanamine, do Azuma e do Shiratori, tenho a impressão que eles tiveram um final nos últimos volumes que apareceram, mas poderia aparecer de novo no último pra dizer que ainda estavam vivos!

Eu preciso fazer uma leve comparação, mas desde a primeira vez que vi o Takagi me lembrei do Raito, assim como a Azuki me lembrou muito a Misa. Preciso também falar um pouquinho sobre o anime, do qual assisti alguns episódios, mas parei por algum motivo que eu não sei explicar. Só preciso dizer que nas duas mídias, essa história de como são os bastidores do mangá e como é a vida de dois apaixonados por mangás funciona muito bem. Acredito que várias coisas que são de curiosidade de muita gente estejam presentes nessas páginas. Foi uma leitura muito boa de ser feita e agradeço muito à Bibs por me emprestar! No mais, espero que tenham gostado e que procurem ler um pouquinho dessa história sensacional! 


Avaliação: 



2 comentários

  1. não me ligo muito nesse tipo de leitura, mas agradeço a dica
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Nunca li mangás e acho que eu poderia começar por esse, o que acha?
    Gostei muito da resenha e fiquei super curiosa.

    Ler Antes De Dormir

    ResponderExcluir

Não deixe de comentar,a sua opinião é muito importante. Agradeço a sua visita.


Leituras da Paty - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
Miss Mavith - Design with ♥